fbpx

WhatsApp vai obrigar o compartilhamento de dados pessoais com o Facebook

O título dessa matéria não é tendencioso. Muito pelo contrário: essa é a realidade das novas políticas de privacidade do WhatsApp, válidas a partir de 8 de Fevereiro. Isso quer dizer que existem duas opções: ou você aceita as mudanças (das quais falaremos abaixo), ou estará convidado a congelar sua conta do app.

Se surgiu a dúvida sobre se as mudanças serão grandes e quais delas serão feitas, siga acompanhando o que te escrevemos, no dia de hoje. Ao final do texto, indicamos o que consideramos nossa melhor solução.

O que muda?

Pois bem, vamos lá. As mudanças não são poucas, há quem diga que parecem até mesmo “invasivas” e, nesse sentido, polêmicas por demais – tanto que o número de downloads do Whats caiu 11%, só na primeira semana de 2021. Para começar, imagine que vários dados seus poderão ser compartilhados com empresas pertencentes ao Facebook.

Ao aceitar as políticas obrigatórias de uso, o usuário dá permissão e disponibiliza o uso à empresa destas informações: transações financeiras via WhatsApp; número de IP e localização; informações específicas do telefone, até mesmo a companhia de telefonia móvel; número do telefone e nome da pessoa; dados sobre atividade do usuário e até mesmo foto de perfil.

Muitas mudanças põem em xeque a usabilidade do WhatsApp – Imagem de rawpixel.com.

Por conta da variedade de informações acima, algumas pessoas estão chamando a nova política de privacidade de “consentimento forçado” – ou seja: aceite fornecer tudo isso, ou saia. A finalidade de tudo isso ainda é desconhecida. Porém, como motivo básico, a Facebook disse tentar melhorar o suporte e experiência do usuário com a aplicação.

Existem alternativas?

Se você não concorda com as medidas acima, existem algumas possibilidades de mudança.

Primeiro, que o Instituto Brasileiro de Defesa ao Consumidor (Idec) tenta negociar um acordo com a empresa americana, para que a medida não valha em território brasileiro. Mas, até onde se sabe, não existe nenhuma negociação concreta, somente especulações.

Uma alternativa melhor seria migrar para outra plataforma. Hoje, existem aplicativos com funções semelhantes ou até melhores que o WhatsApp. Muitas vezes, vale a pena dar uma chance e abrir possibilidade para uma mudança, não é mesmo?

O Telegram, por exemplo, conta com um excelente sistema de criptografia e comandos internos: canais com milhares de participantes, segurança e agilidade no app. Só na semana passada, por exemplo, ele atingiu 500 milhões de usuários no mundo todo. Esses e os vários benefícios de usar o Telegram, você descobre aqui.

Outra solução está no app Signal. Aqui, o único problema é que essa plataforma ainda é muito nova e desconhecida, com uma taxa de proporção de usuários muito baixa, comparada ao Telegram, por exemplo. Ou seja: poucas pessoas que você conhece vão utilizá-la.

Outro elemento que você só encontra no Telegram é o canal da Visual Software, no qual você se inscreve clicando aqui. Nele, trazemos dicas diárias de internet e dos nossos produtos, assim como você recebe primeiro o que publicamos, semanalmente no nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *