O que você precisa saber antes de comprar um celular novo?

Celulares se encontram na categoria de “bens duráveis”, ou seja, aqueles que não se desgastarão tão facilmente, em um curto prazo. O problema é que nem sempre um celular tem o tempo de vida estimado: ele pode quebrar, ou vir com um defeito que se revela somente após o tempo de garantia, entre tantas outras situações que te obrigarão a adquirir um novo aparelho.

Com certeza, você não vai querer investir dinheiro em “qualquer” smartphone. Por isso, tem de avaliar muito bem onde seu dinheiro será destinado. Sua prioridade é tirar fotos boas? Ou seu foco principal é o custo-benefício, mesmo sem perder em desempenho? Vamos tentar esclarecer o que pode ser mais importante na hora de você comprar um novo celular. Confira, a seguir.

Alguns ítens importantes: conhece a ficha técnica do produto?

A ficha técnica é um elemento que reúne todas as informações essenciais de um produto. Nela, será possível entender qual a memória interna, memória RAM, entre outras características. Nela, analise os principais itens, que são:

  • Processador: falando de forma simples, o processador é um dos principais componentes de um smartphone. Ele dita a velocidade que os processos terão. Quanto mais GHz e núcleos um processador tem, melhor ele será – se ele for octa-core e tiver 2 GHz, já terá desempenhos excelentes. Além disso, saber a marca do mesmo é importante. Algumas famosas são Exynos e Snapdragon. Também existem outras de qualidade considerável, como o Kirin da Huwaei.
  • Memória RAM: Outro componente que determinará a qualidade do celular é a memória RAM. Se você tiver somente 1 ou 2 GB, sofrerá bastante quando abrir vários apps ao mesmo tempo. O mínimo para quem usa o celular para trabalho, jogos e estudos é de 4 GB, o que dá uma boa margem de desempenho e uso.
  • A memória interna também definirá muito do que você busca. Hoje em dia, com a quantidade de apps e o tamanho de arquivos como imagens, vídeos, etc. 32 GB se tornou uma quantidade de memória extremamente limitante. O mínimo recomendável, para quem literalmente “não quer se estressar”, é de 64 GB.
  • Câmera: esse componente nem sempre é tido como o mais importante em um smartphone. Algumas pessoas simplesmente não usam o celular para tirar fotos, não é uma prioridade para elas – o que abre espaço para focar mais no desempenho do mesmo. Porém, para quem quer ter fotos de qualidade, é necessário não analisar somente os megapixels (MP), mas também a tecnologia da câmera utilizada pela fabricante – a Apple, por exemplo, sempre é vista com destaque no que concerne à qualidade das fotos. Várias outras marcas também se destacam nesse sentido, para citar algumas, temos Xiaomi e Samsung.

Preço: no fim, o que mais importa

Convenhamos: o preço de um produto sempre vai ser o fator final e determinante para a compra ou não-compra do mesmo. Ainda mais quando se tem dois produtos muito semelhantes, com características parecidas, porém um deles custando o dobro do outro. A marca influencia também na compra, porém o que prevalece no final, é o preço.

Ainda falando de precificação, o indicado é que sempre um produto seja pesquisado em várias lojas diferentes. Alguns celulares até dobram de preço de uma loja para outra. Por isso, nunca se precipite.; analise, estude e veja quais os melhores valores que cabem no seu bolso. Você consegue encontrar bons smartphones (com 64 GB de memória e 4 GB de RAM, por exemplo) com valor estimado de R$ 800.

Por fim, um convite!

Inscreva-se no nosso canal do Telegram, clicando aqui. Nele, trazemos dicas diárias de software, gestão de empresas e MUITO mais, assim como você viu hoje. Confere aí, tenho certeza que não vai se arrepender! Valeu e um abraço.