fbpx

6 métodos de proteção contra ataques de hackers

Em um texto passado do nosso blog, falamos sobre alguns casos de empresas famosas que foram atacadas por hackers e tiveram seus dados roubados. Todas elas tinham algo em comum: cometeram alguma falha humana (por menor que tenha sido) e causaram grandes estragos à suas imagem e credibilidade comerciais. São casos famosos, onde até mesmo prefeituras foram vitimadas com tais ataques.

O que acabou por diferenciar alguns casos de outros, foi o preparo, antecipação ou proteção, em relação ao ataque recebido. Foi o que aconteceu com a Prefeitura de Antonina, a qual teve seus dados criptografados, mas como tinha um backup deles, conseguiu restaurá-los sem pagar nada para nenhum criminoso. Por isso veja nossos 6 conselhos para você se antecipar e não cair em ataques de hackers, ramsonwares, entre outras coisas mais.

1 – Tenha um serviço especializado de backup

Esse é o primeiro passo, antes de qualquer coisa. Porque os outros itens, dos quais falaremos, são ações preventivas para você não cair nas mãos de um vírus pesado, ou de um hacker por exemplo. O problema é que, caso você caia, o criminoso poderá exigir o que quiser de você. A menos, é claro, que você tenha como restaurar seus dados de outro modo. A solução para isso? Um serviço especializado de backup, como o MyDrive da Visual Software, onde será possível ter backups constantes e completos.

Com o MyDrive, você se protege de panes no sistema, ciberataques, queima de terminais, entre tantas outras situações perigosas para suas valiosas informações. Para contratar esse serviço? Muito simples: entre em contato conosco, pelo tel (46) 3532-2005. Ou pelo site visualsoftware.inf.br. Amigo, não dê sorte ao azar. Previna-se.

2 – Capacitação da equipe

Todos que, de alguma forma, estão envolvidos com a tecnologia devem ter o devido preparo para manuseá-la. Por que isso é necessário? Por um motivo simples: os hackers desenvolvem métodos de ataque, justamente contra os usuários mais mal preparados. Eles não conseguirão invadir suas máquinas, caso haja um preparo anterior seu. Muito pelo contrário. Os alvos são justamente aqueles que, por um deslize, cometem um engano e deixam os dados totalmente expostos.

Por esses motivos, é necessário ensinar noções básicas de proteção aos seus colaboradores/equipe: não entrar em links duvidosos, ou até mesmo baixar arquivos que provenham de fontes estranhas, são os princípios para o uso seguro da internet. Outras medidas, como manutenção da privacidade dos dados pessoais, também são importantes.

3 – links e e-mails suspeitos? Jamais!

Outras situações que acabam por gerar imensos danos, para inúmeras pessoas: abrir links ou e-mails de fontes duvidosas, desconhecidas e obscuras. Se você não conhece a pessoa ou o domínio, o que vai ganhar abrindo-os? Muito provavelmente, terá seus dispositivos e aparelhos infectados, dados roubados, entre outras coisas. Foi o que aconteceu, recentemente, com o youtuber Peter Jordan, que possuía um canal gigante no Youtube.

Ele cometeu o triste erro de abrir um link de um e-mail desconhecido, que prometia lhe fornecer um jogo recém-lançado de graça. Teve seu canal e várias informações roubadas. Posteriormente, acabou recuperando, mas passou por uma situação desnecessária, que poderia ter sido facilmente evitada.

4 – Manter seus softwares atualizados

Essa medida é de extrema importância. Os softwares que você tem instalado (sem exceções) tem novas versões saindo constantemente, por conta já de importantes atualizações de segurança que são feitas. Se você deixá-los nas versões antigas, estará correndo riscos – e riscos desnecessários, pois uma atualização, normalmente, é bem simples e rápida de ser feita. Não vale a pena esperar.

5 – Criptografia devidamente instaurada

Codificar informações confidenciais e privadas, que estão em sua posse, é um passo muito relevante para se antecipar à possíveis ataques contra sua rede. Quando você habilita a criptografia de dados, somente aqueles que tem conhecimento das chaves/códigos, poderão ter acesso às informações. Hackers sem as chaves de acesso, por exemplo, podem até conseguir acesso aos registros, mas às informações em si não. Por isso, trabalhar com tecnologia criptografada é importante.

6 – Monitoramento de acesso às redes

O monitoramento das suas redes é mais uma medida que merece estar aqui. Por que? Pelo fato de que será possível ter a relação de qualquer atividade suspeita, que ocorra dentro das suas redes internas. O uso de ferramentas como IPS (Intrusion Prevention System) e IDS (Intrusion Detection System), vão acrescentar muito na questão do monitoramento que, além de identificar invasões, passará a relatar outros tipos de atividades não previstas.

E para mais dicas como essa…

Inscreva-se no nosso canal do Telegram, clicando aqui. Nele, trazemos dicas diárias como essa vista hoje, e muito mais! Valeu e um abraço.

Autoria imagem destacada: master1305, em freepik.com
Referência textual: CISS Blog