fbpx

Com o Pix, dê adeus às dores de cabeça para efetuar transferências!

Já teve alguma vez que você precisou efetuar uma transação muito importante, mas foi impedido, por conta dos horários das agências bancárias? Não estranhe, isso já aconteceu com muita gente. Mas, fique tranquilo. Com o Pix, situações como essa nunca mais vão existir.

No seu interior, surge o questionamento: “então nunca mais vou ficar limitado à fazer transferências entre diferentes instituições bancárias?”. É isso mesmo, nunca mais. Outra pergunta surge: “Mas então esse tal de Pix funciona todos os dias do ano, 24 horas por dia?”. Exatamente: todos os dias e a qualquer hora.

Nas linhas que se seguem, te explicaremos o porquê dessa plataforma ser tão inovadora, bem como o motivo de você iniciar o seu uso ainda hoje.

Por que migrar para o Pix?

Antes do Pix, meios de transferência como o TED e o DOC eram os mais utilizados. No DOC, por exemplo, havia a possibilidade de atrasos, que poderiam durar mais de um dia completo, até a concretização efetiva da operação.

Outra desvantagem, tanto do TED quanto do DOC, concentra-se na seguinte situação: transferências só podiam ser feitas em dias úteis da semana. Ou seja: em feriados e finais de semana, sem chances de efetuar as operações desejadas.

Inovação, rapidez e facilidade. Pra quê mais?

Não é falsa propaganda. É realidade: com o Pix, todos esses problemas são solucionados. Inovação, porque nunca se viu, antes, um meio de pagamento tão diferenciado assim. Rapidez, pois todo o processo, até a conclusão efetiva da transferência, é feito em tempo real. E facilidade, pelo fato de você não ter mais as dores de cabeça e impedimentos de antes.

Tipos de transações e custeio

Sobre os tipos de transações que podem ser feitas? De acordo com informações oficiais da Nubank, citando o Banco Central, são as seguintes: entre pessoas; entre estabelecimentos; entre pessoas x estabelecimentos comerciais; para órgão governamentais.

Sobre custos: vão variar de banco para banco. Portanto, consulte a agência de banco mais próxima de você, para ter noção dos valores reais. Vale lembrar que o Banco Central garantiu que as transferências de pessoa para pessoa serão gratuitas, na maior parte dos casos – clique aqui para ver as exceções.

Outra dúvida, muito recorrente entre os usuários dessa nova plataforma de pagamento: transferências com cartão de débito. Aqui, é muito simples de entender: em vias antigas de pagamento, era cobrado uma taxa de 1,5% por operação, sendo que a espera era de até 1 dia completo.

Agora, isso não existe mais. Além da já citada rapidez nas transações, também a taxa, segundo especialistas, será menor e mais acessível e não nos moldes de uma porcentagem fixa por operação.

A grande dúvida: como fazer transações no Pix?

Existem 3 maneiras principais para efetuar transferências: informando a chave de acesso Pix, pela leitura de QR Codes, ou o método tradicional: informando os dados bancários de alguém. Os mais utilizados são por QR Code e Chaves Pix. Por isso, vamos te explicar como utilizá-los.

1) Chaves de acesso

Como exemplo de uso das chaves de acesso, vamos utilizar a plataforma Nubank. Se você já tem uma conta cadastrada nela, na tela inicial do seu aplicativo, haverá a opção para começar a fazer transferências por meio do Pix. Ao selecioná-la, uma outra tela se abrirá no seu celular.

Dentro dela, os comandos são muito simples: selecione a opção “Minhas chaves”. Aí, será necessário cadastrar as chaves, que serão o seu nome, CPF, celular e e-mail, assim como uma chave aleatória, gerada automaticamente pelo sistema.

Após a efetivação do cadastro, basta que a pessoa que vai transferir o dinheiro via Pix, tenha alguns desses dados e os insira nos campos de informação. O processo se dará no seguinte: primeiro, inserir o valor a ser transferido; depois, a chave de acesso (CPF, nome ou número); por fim, concluir a transação, que será efetuada em segundos.

2) QR Codes

Por meio desse 2º método, tudo também é muito simples: já na parte do Pix do seu app, vá até a opção de pagamento e selecione a leitura de QR Code. Agora, somente escaneie o código, que deve ter sido gerado de antemão. Após efetuar o processo, a transferência será efetuada e concluída rapidamente.

Vale relembrar que as transações por Pix se darão em inúmeras instituições bancárias. Para descobrir se está ao seu alcance, basta entrar em contato com a agência mais próxima de você.

Hoje, te ensinamos muitos elementos sobre essa nova plataforma de transferências. Para mais textos como esse, inscreva-se no nosso canal do Telegram, clicando aqui. Assim, você fica antenado em muitas dicas sobre gestão empresarial, internet e nossos produtos. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *